Índices dos Grupos

Publicado em: 13 nov 2012

Apesar da desaceleração do crescimento econômico brasileiro no primeiro semestre deste ano, devido aos efeitos da crise internacional, aos fracos resultados apresentados pela indústria e às incertezas dos empresários, a expectativa é de que o cenário melhore nos próximos meses do ano, o ritmo de atividade e a expansão da demanda interna tendem a se intensificarem, o mercado de trabalho manterá aquecido e com ganhos reais favoráveis. Essa melhora da economia começará a refletir os efeitos das medidas de estímulo adotadas pelo governo na política industrial Brasil Maior.
O plano Brasil Maior foi lançado há um ano, em agosto de 2011, e suas medidas surtirão efeitos mais intensos daqui em diante. Dentre as principais estão, a desoneração da folha de pagamento ampliada para 15 setores da economia e a redução do IPI até este mês. Além disso, soma-se com a redução dos juros (Selic), o que possibilita o barateamento no custo de financiamento, com a desvalorização cambial dando competitividade à indústria brasileira e com o aumento do salário mínimo, aumentando o poder de compra da população. A redução nos custos de energia, concessões de obras de infraestruturas à iniciativa privada e o novo regime automotivo que vigorará em 2013, estão sendo estudadas pelo governo nas próximas semanas para fazerem parte do novo bloco de medidas de estímulo ao investimento nacional e à atividade econômica.
Alguns segmentos do setor metalúrgico já apresentaram melhora diante das medidas de apoio, principalmente com a redução do IPI, como é o caso das montadoras, com vendas superior de 18,9% em junho, ante igual período do ano passado, esse resultado favoreceu a normalização dos estoques e aquecimento para próximo semestre. Segundo a Anfavea, a projeção é de 4% a 5% de aumento nas vendas e de 2% na produção para agosto. Outro segmento é o eletroeletrônico, pelo mesmo fato da redução do IPI afetou positivamente a produção da linha branca, com crescimento de 8,5% no segundo trimestre de 2012 ante igual período de 2011.
Sendo assim, para o setor metalúrgico de Itu, Cabreúva, Boituva e Porto Feliz espera-se que sofra implicações positivas para as tendências favoráveis do cenário econômico no próximo semestre. De acordo com os dados do Ministério do Trabalho e Emprego, em média a base de Itu, Cabreúva, Boituva e Porto Feliz teve um aumento de 1,3% no estoque de trabalhadores do setor metalúrgico em junho deste ano comparado com dezembro de 2011. Em especial para o segmento de autopeças com negociações no Grupo 3, mesmo com queda de 2010 para 2011, teve aumento de 5% do estoque de trabalhadores em junho desse ano comparado com dezembro de 2011, seguido do segmento de siderurgia e metalurgia básica (Grupo 8), com aumento de 2%, o de máquinas e equipamentos (Grupo 10) com 1% e o eletroeletrônico e máquinas e equipamentos (Grupo 2) com 0,5%. Como podemos observar nos gráficos seguintes:

 

Escrito por Tadeu

Jornalista e Assessor de Imprensa do Sindicato dos Metalúrgicos de Itu e Região

Website:

Voltar

Blog do Metalúrgico

Lutar e defender nossos direitos

Companheiros (as) A classe trabalhadora, em especial os …

É hora de mostra nossa força

Estamos passando por uma grande turbulência política. A famosa c …

Pesquisar no site

informe-se!

última edição

rádio cut

Galeria de Vídeos
Galeria de Fotos

Sindicato dos Metalúrgicos de Itu, Boituva, Cabreúva e Porto Feliz!