Lutar e defender nossos direitos

Companheiros (as)
A classe trabalhadora, em especial os metalúrgicos, está passando por um momento muito difícil em sua história. Vários são os ataques que estão sendo realizados contra nós.
Tudo isso teve início, quando um grupo político, não aceitou o resultado das urnas das eleições de 2013. Teve início naquele momento, o golpe parlamentar, que desrespeitou não só a democracia, mas passou em cima da vontade popular. Esse movimento golpista derrubou uma presidenta eleita democraticamente e colocou no poder, um governo ilegítimo e golpista. Esse processo criou uma enorme crise econômica.
Impulsionados pelo pato amarelo da FIESP, a classe empresarial apoiou e bancou o golpe. Hoje quem está pagando a conta somos nós trabalhadores(as).
O governo golpista, ao chegar ao poder, tinha inúmeros favores pendentes a cumprir. Hoje estamos sentindo na pele, os empresários cobrarem esses favores. Todas as alterações nas Leis Trabalhistas, só atendem os interesses dos patrões, e prejudicam cada vez mais nós, trabalhadores(as).
Nós metalúrgicos, estamos sofrendo um enorme e maciço ataque à Convenção Coletiva de Trabalho. As bancadas patronais vêm propondo a retirada de direitos, a precarização no local de trabalho e a alteração nas redações, de modo a desproteger os trabalhadores(as) e nos colocar, a mercê dos patrões.
As negociações da Campanha Salarial 2017 segue com o tom de retirada de direitos, aparada na enorme tragédia que foi a tal reforma das Leis Trabalhistas, votada pelos deputados golpistas.
Chegou a hora da resistência. Precisamos de unidade e mobilização, para proteger nossa Convenção Coletiva de Trabalho e garantir nossos direitos.
Não podemos deixar que aquilo que conquistamos com muito esforço, no decorrer da história seja perdido por conta de interesses capitalistas.
É hora de lutar.

Dorival Jesus do Nascimento Júnior

Dorival Jesus do Nascimento Júnior Presidente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *