Seguro de vida e 40h semanais foram debatidos no Grupo 3

A Federação dos Sindicatos Metalúrgicos da CUT (FEM-CUT/SP) iniciou na terça, dia 14 de agosto, a primeira rodada de negociação da Campanha Salarial com a bancada patronal do Grupo 3 (que reúne os setores de autopeças, forjaria e parafusos). A negociação aconteceu na sede do Sindipeças, em Santo Amaro. A data-base é 1º de setembro e ao todo estão em Campanha nestes setores 51 mil metalúrgicos no Estado.

 

O presidente da FEM-CUT/SP (Federação Estadual dos Metalúrgicos filiados a CUT), Valmir Marques, (Biro Biro), coordenador da bancada dos trabalhadores, apresentou os pontos da pauta, destacando a redução na jornada de trabalho, sem redução no salário, de 44h para 40h semanais, o seguro de vida em grupo e uma proposta que contemple o abono salarial. “Na nossa base, 73,5% dos metalúrgicos nos setores do G3 trabalham na jornada de 44h, somente 6,6% fazem 40h. Ressaltamos que eles podem ser referência e avançar nesta questão”, explica.

 

O estudo apresentado foi elaborado pela Subseção do Dieese na FEM e foi baseado em dados do Ministério do Trabalho (RAIS 2010). De acordo com o levantamento, no setor de autopeças no Brasil 83,3% dos trabalhadores cumprem o regime de 44h, apenas 6,2% fazem 40h. Os dados do Ministério do Trabalho contrapõem os números do Sindipeças, divulgados em exposição à Federação na semana passada, que apontam que metade dos trabalhadores na base da entidade (492 empresas associadas em todo o Brasil) já é contratada na jornada de 40 horas semanais.

 

Para o presidente dos Metalúrgicos de Itu e Região, às 40h semanais proporcionara aos trabalhadores (as), uma oportunidade maior para ficar com a família e também buscar a qualificação e requalificação. “Esta é uma bandeira que defendemos e vamos lutar até o fim para essa conquista. Ao reduzir a jornada de trabalho sem redução de salário, o trabalhador terá mais tempo para se dedicar à família e buscar sua qualificação e requalificação para poder desempenhar suas atividades profissionais com maior êxito,” destaca Dorival Jesus do Nascimento Júnior.

De acordo com o presidente da FEM há muitas empresas que não oferecem cobertura para o seguro de vida em grupo. “Este direito visa oferecer uma garantia de seguro para o trabalhador e seus familiares em caso de invalidez e morte”, finaliza.

 

Próximas rodadas dia 21 e 24/08

 

A bancada do G3, coordenada pelo assessor jurídico Dráuzio Rangel, informou que avaliará as reivindicações da FEM-CUT/SP e agendou uma nova rodada para o dia 21 (terça-feira), às 10h, na sede do Sindipeças, em Santo Amaro.
Principais reivindicações da FEM-CUT/SP

Reposição integral da inflação no período da data-base da categoria (1º de setembro); Aumento real no salário; Valorização nos pisos salariais; Redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais sem redução no salário; Ampliação da licença maternidade de 120 para 180 dias; Seguro de vida em grupo.

 

Setores da base da FEM-CUT/SP em Campanha
Fundição
Estamparia
Grupo 2 (máquinas e eletrônicos)
Grupo 3 (autopeças, forjaria, parafusos)
Grupo 8 (trefilação, laminação de metais ferrosos; refrigeração, equipamentos ferroviários, rodoviários entre outros)
Grupo 10 (reúne os sindicatos patronais dos setores de lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação, material bélico entre outros).
Total de metalúrgicos em Campanha na base FEM: 206.5 mil

Fonte: FEM-CUT/SP – Foto: Mídia Consulte

Tadeu Italiani

Jornalista e Assessor de Imprensa do Sindicato dos Metalúrgicos de Itu e Região

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *